• Facebook
  • Instagram
  • YouTube
Site Oficial
Site Oficial
Site Oficial
Contato
Contato
Contato
Seja nosso parceiro!
Seja nosso parceiro!
Seja nosso parceiro!

 

Presenciando o Uno através de conexões extraordinárias

                                                                                                                                                                                                          

 

 

Páscoa de 2016 - uma carta aberta


Se todas as cartas e mensagens que recebêssemos fossem tão positivas em conteúdo e permitissem tantas reflexões primordiosas sobre nossos potenciais, teríamos mais fé e esperança no mundo.

Semana passada, recebi essa carta com uma mensagem de Páscoa de Sri Mrinalini Mata, atual presidente da Self-Realization Fellowship, que me fez cintilar a alma.

Diante de um período de reviravoltas no cenário nacional, onde também nos deparamos com as energias densificadas pelo sentido deturpado da Páscoa, me vi diante de uma mensagem de paz e purificação, sugerindo que sejam feitas as mudanças necessárias para nos conectarmos com o nosso Cristo Interior e vivermos o verdadeiro sentido de Ressurreição.

Compartilhando, pois as mensagens de amor devem ser semeadas. E que todos os seres possam disfrutar do Espírito da Verdade em seus corações.

***


"Páscoa de 2016


“Abençoa-nos nesta manhã, ó Cristo, para que possamos perceber o significado universal de tua ressurreição: que nossas almas, reflexos da Consciência Crística, ressuscitem para sempre em tua Consciência Imortal.”

~ Paramahansa Yogananda

Saudações de Páscoa a vocês, com muita alegria, desde os ashrams de Paramahansa Yogananda! Ele nos ensinou a reverenciar a mensagem pascal da ressurreição como uma eterna afirmação – dirigida a todos os filhos de Deus – de que, não importa quão obscuras sejam as nuvens tempestuosas deste mundo conturbado, temos o poder para nos elevar acima delas, alcançando uma percepção mais vasta da luz e da glória de Deus.


Avatares como o abençoado Senhor Jesus encarnam para nos demonstrar com seu exemplo a maneira de viver divinamente em meio às dualidades da criação. Eles enfrentaram as forças obstrutivas de maya*, tal como nós todos precisamos fazer, e venceram. Aparentemente, a crucificação de Cristo afigurou-se uma derrota humilhante. Todavia, como um resplandecente dardo de luz trespassando a obscuridade, sua ressurreição foi uma gloriosa vitória não apenas sobre a morte, mas simbolicamente sobre todas as limitações mortais – uma vitória que continua a aclarar, para as almas receptivas, a verdade de que não somos este corpo, mas seres divinos irrevogavelmente dotados com a imortalidade, a alegria e o amor do Espírito.


Os dias sagrados da época de Páscoa estão repletos de comoventes lembranças do drama divino encenado por Jesus para o encorajamento e a inspiração perenes de toda a família humana. Nosso guru Paramahansaji escreveu: “Jesus sabia que por meio de sua ressurreição a onipotência de Deus seria revelada, enquanto que sua crucificação exemplificaria a humildade de Deus, que deseja ensinar Seus filhos rebeldes e ignorantes valendo-se unicamente do amor”. Quando celebrada de acordo com seu verdadeiro significado espiritual, a Páscoa é portanto uma ocasião de suprema alegria, uma oportunidade para redescobrir que uma vida repleta de alegria é o resultado da prática diária da ressurreição – em nossas atitudes e ações e na maneira de nos relacionarmos com os demais. Pelo fato de vivermos num mundo imperfeito, é fácil nos determos indevidamente nos defeitos presentes nos outros, na sociedade e em nós mesmos. Mas se buscamos o bem, fazemos o bem e tentamos trazer à luz o bem nas diversas circunstâncias que encontramos, então conectamos nossa vida diária com o poder redentor do amor de Deus neste mundo – a Consciência Crística que tudo permeia.


Todos temos cruzes individuais a carregar, mas a maneira como decidimos carregá-las determina seu efeito sobre nós. A verdadeira vitória de Jesus Cristo foi o amor e o perdão que ele demonstrou na cruz. Também em nossa vida, as experiências contra as quais o ego se rebela podem ser libertadoras para a alma. Quando o orgulho do “pequeno eu” é crucificado, temos uma oportunidade de aprender a humildade que nos confere paz. Quando os outros nos são hostis, podemos vencer os impulsos do ego prodigalizando bondade e compreensão. Se o corpo tem problemas e reagimos com destemor e equânime fé na vontade de Deus, podemos trazer à tona a natureza heroica da alma e, por meio da entrega confiante, aprofundar nosso relacionamento com Ele. Sempre temos o poder para eleger a luz em vez das trevas. As escolhas que fazemos podem transmutar nossas cruzes em instrumentos para promover nossa perfeição – para ressuscitar, do sepulcro da consciência mortal, a alma sempre plena de bem-aventurança.


Possam vocês sentir essa ressurreição interior na quietude da meditação e ao viverem com o pensamento de Deus ao longo de cada dia. Minha prece de Páscoa por vocês é que o infinito amor crístico – em que habitam Jesus e todos os Mestres Divinos – os desperte para o seu próprio Eu imortal e para as qualidades divinas de sua alma, de modo que sua vida e ações possam verdadeiramente irradiar a luz, a paz e a beleza de Deus.

Carinhosos votos de uma alegre e abençoada Páscoa para vocês e os que lhes são caros,

Sri Mrinalini Mata"




* Nota da editora: maya - em sânscrito, refere-se ao conceito de ilusão.